Me liga: +55 63 984369823
Top notch Multipurpose WordPress Theme!

5 Erros que você deve evitar em um Blog Corporativo

Caetano Burjack Comentários: 0

Tão importante quanto saber o que fazer em um blog corporativo é saber o que evitar, por isso levantei 5 erros que devem ser evitados a todo custo para que seu blog não venha a morrer precocemente.

 

5 erros que voce deve evitar em um blog corporativo 5 erros que voce deve evitar em um blog corporativo

INFOGRÁFICO – 5 erros que voce deve evitar em um blog corporativo

 

1 – Não ter planejamento e segmentação

Uma das partes mais sensíveis de um blog corporativo é o planejamento, pois é nessa fase que se define o público que se deseja atingir, o problema a se resolver, a estratégia a se utilizar e o cronograma a seguir. A solução desses dois primeiros pontos resultará na segmentação do blog.

O Blog corporativo deve focar em seu segmento, criar conteúdo sempre relacionado a sua área de atuação.

Vamos para um exemplo prático: Se você se propor a falar sobre veículo, em virtude de ter uma oficina, aqueles que se inscreverem em seu blog, gostarão de ler conteúdo relacionado a veículos e afins. Para outros assuntos eles certamente assinarão outros blogs.

Ser segmentado influencia diretamente na sua autoridade, e no final das contas é exatamente nesse ponto que se deseja chegar com um blog corporativo.

 

2 – Focar no produto

Falar diretamente sobre o produto ou serviço no site institucional é uma boa estratégia, já no blog, não.

Cada uma dessas ferramentas tem funções bem definidas e servem para atingir o prospect (potencial cliente) em contextos distintos.

Enquanto o site é voltado para promover seus produtos e gerar vendas, o blog age como um meio de gerar vínculo com o prospect para que este, no momento em que decidir pela compra se lembre da sua marca. Isso se dá de várias maneiras, seja solucionando problemas, abordando temas relacionados ao produto ou dando dicas. O foco nessa abordagem não é a empresa e sim o cliente, por isso tente se colocar no lugar deste, entender seu problema e assim trabalhar para entregar a melhor solução.

Para exemplificar, consideremos uma empresa que comercializa polpas de açaí. Ao invés de focar na empresa ou no produto criando por exemplo autoelogios, seria mais vantajoso para esta empresa criar uma sessão de culinária no blog com receitas e dicas de dietas envolvendo o açaí e desse modo introduzir estrategicamente sua marca. Dessa forma, ainda que este conteúdo não resulte diretamente em uma venda, criará um vínculo com o prospect que poderá mais tarde resultar em uma venda.

 

3 – Focar na quantidade de conteúdo

Um erro grotesco e recorrente em alguns blogs corporativos é priorizar a quantidade de conteúdo em detrimento da qualidade. É sabido que para se obter sucesso em um blog corporativo é necessário haver regularidade na criação de conteúdo, mas apesar disso, o foco deve estar na qualidade.

Tanto para a audiência quanto para os mecanismos de busca (Google, Bing, Yahoo! e etc.) a qualidade do conteúdo é o que define sua relevância e isso é o que realmente importa.

Portanto, se você acredita ser capaz de criar apenas um post relevante por semana para o blog, não se arrisque a produzir mais, sem comprometimento com a qualidade, imaginando que vai atrair mais pessoas ou se destacar mais. O fato é que com conteúdo pobre você perde credibilidade e autoridade, afastando-se cada vez mais da primeira página dos buscadores.

Produza apenas conteúdo de qualidade, para que seu cliente entenda que houve ali real esforço na produção de algo relevante.

 

4 – Não ter profundidade

Para se chegar a conteúdos notáveis é necessário um grande esforço em estudo e pesquisa, e fugir disso é correr o risco de entregar conteúdo superficial a sua audiência, encorajando-a a rotular precipitadamente seu blog e pior ainda, gerar marketing boca a boca negativo.

Criar conteúdo que fale basicamente o que a maioria das pessoas já sabem é uma péssima prática para alavancar seu blog.

Não agrega valor, afasta a audiência e por consequência prejudica seu posicionamento nos buscadores.

Portanto, nesse ponto seja metódico e não pule etapas, pesquise, estude, produza e se o resultado for satisfatório, publique.

 

5 – Confundir opinião com fato

Comumente as pessoas recorrem a blogs quando precisam de embasamento para tomar alguma decisão. Algumas vezes querem opiniões, outras vezes querem fatos.

Nesse sentido você precisa entender que há uma grande diferença entre as duas coisas e justamente por isso você deve ser bem claro quanto ao tipo de informação que está passando em cada conteúdo, para que em posse disso sua audiência possa tomar a decisão mais acertada.

Perceba que fatos refletem informações que geralmente podem ser comprovadas, seja por números, registros e etc., enquanto que opiniões refletem juízos, valores e interpretações.

Conforme você adquire mais conhecimento em sua área, mais você ganha relevância e autoridade, e é exatamente isso que fará com que sua audiência confie em sua opinião.

 

Conclusão

Existem muitos outros pontos que você deve considerar para atingir bons resultados em sua estratégia de marketing, mas estes 5 são os que considero mais elementares.

Sinta-se à vontade para falar nos comentários sobre suas experiências nesse vasto mundo que é o marketing digital.

Fique à vontade também para solicitar uma consultoria gratuita.

Uma página do facebook (fanpage) substitui um site?

Caetano Burjack Comentários: 0

Muitas vezes ouço a seguinte questão: Uma fanpage substitui um site?

Para você que sofre de ansiedade a resposta curta, na minha opinião, é NÃO.

Para entender o porquê é necessário inicialmente entender a aplicabilidade das duas soluções e para isso vou me valer de uma analogia.

Vamos considerar que você tenha um negócio local. Nesse caso um site representaria sua instalação física, loja ou escritório, enquanto que uma página do facebook (fanpage) seria um outdoor numa esquina bem movimentada, levando a imagem da sua marca.

 

Site/Loja Física

Em um site você pode definir completamente o design e a experiencia que deseja propiciar ao seu cliente, bem como exibir seus valores, missão, corpo de funcionários, instalações, e desenvolver mecanismos próprios para captação e conversão de clientes. Outro ponto é que você pode mudar sua estratégia completa quando e quantas vezes desejar, refletindo cada momento do seu negócio.

 

Fanpage/Outdoor

Já um outdoor é basicamente um espaço alugado que de fato não te pertence e que por mais estilizações que se faca sempre estará limitado a um determinado escopo. É basicamente isso que ocorre na fanpage.
Apesar de ser indiscutivelmente eficiente, uma fanpage obedece os limites do facebook e independente de quanto esforço você empregue nela, ela de fato não é sua. A qualquer momento o facebook pode mudá-la ou até mesmo desativá-la, e estou longe de insinuar que vá, mas é uma hipótese possível.

Para criar sua fanpage, clique aqui.

 

Como se comunicar

Outro ponto fundamental a se considerar é o modo de se comunicar na fanpage, visto que o público do facebook é bastante imediatista, geralmente interessado em entretenimento e lazer e por esse motivo prefere imagens, textos curtos, tom informal e humorístico. Nessa estratégia é comum as postagens virem acompanhadas de links para a página do site que dê continuidade e profundidade ao assunto.

Continuando a analogia, imagine que você inicie uma conversa com um cliente em potencial, numa fila de banco, você se sentiria mais confortável para falar do seu negócio ali mesmo, ou levando-o para seu escritório? E do ponto de vista do cliente, em qual contexto você acredita que inspiraria mais confiança ao mesmo?
Daí outra vantagem do site, criar um ambiente favorável para sua abordagem.

 

Custo-Benefício

Quanto ao custo-benefício, ambas as soluções podem ser implementadas sem custo, porém a única garantia de profissionalismo será sua habilidade nas áreas de design, programação e conhecimento de mercado. Portanto, se você quer partir direto para uma solução profissional você terá que investir certa quantia, geralmente mais alta para o desenvolvimento do site em relação a fanpage.

 

Conclusão

Você pode estar se perguntando o porquê de algumas pessoas obterem bons resultados apenas com uma página no facebook ou uma conta no Instagram. Realmente isso é possível, mas geralmente para o mercado informal, onde os resultados são limitados às  próprias características desse tipo de mercado. Essas pessoas provavelmente obteriam melhores resultados com uma loja virtual com domínio próprio e suas redes sociais atuando apenas como chamariz para seu negócio.

Bom, fique a vontade para perguntar nos comentários, e caso tenha algo em mente, nesse sentido, que queira tirar do papel, aproveite uma consultoria gratuita para descobrir a melhor abordagem para sua necessidade.

Site responsivo, o que isso quer dizer?

Caetano Burjack Comentários: 0

Em poucas palavras é todo aquele site capaz de adequar seu visual aos mais variados tamanhos de tela sem apresentar textos ou imagens distorcidas ou mesmo exigir que o usuário aplique zoom na tela para poder ler o conteúdo.

Há um tempo atrás ter um site responsivo era um diferencial competitivo mas nos dias de hoje se tornou uma necessidade primária.

Diferente do que ocorria a pouco mais de uma década, onde o acesso a internet era feito predominantemente através de computadores, hoje em dia os acessos são realizados através de dispositivos como smartphones, tablets, smartTVs, smartWatches dentre outros.

Diante desse cenário surgiu a necessidade de se desenvolver ferramentas que criassem uma boa experiência para o usuário independentemente do dispositivo que este estivesse utilizando. A partir daí surgiu o design responsivo, que, através de programação, capta detalhes sobre a tela do aparelho, tais como tamanho e resolução, e com isso altera a estrutura do site de modo a evitar distorções e entregar a melhor experiência para o usuário.

Apesar da gama de dispositivos que se tem atualmente, os esforços maiores se concentram nos usuários de smartphones, visto que, segundo pesquisas, este é de longe o meio mais utilizado entre os internautas para acessarem a internet.

 

Sites responsivos para o Google

Pensando nisso, em 2015, a Google começou a priorizar sites responsivos em seu buscador, para pesquisas realizadas através de dispositivos móveis, com o intuito de entregar a melhor experiência possível para o usuário.

Caso você já tenha um site e queira saber se ele está otimizado para dispositivos móveis, clique aqui, em seguida, na página que abrir digite o endereço do seu site e veja o diagnóstico.

Acredito que agora você tenha entendido o conceito e a importância do mesmo para o seu site. Caso precise de ajuda a partir daqui, pode me questionar através dos comentários ou falar comigo reservadamente através de uma consultoria gratuita.

 

Será que o lugar do meu negócio é na internet?

Caetano Burjack Comentários: 0

Os tempo mudaram, fato, e o modo como damos publicidade ao nosso negócio também. Noutro momento se quiséssemos alcançar nossos possíveis clientes, deveríamos produzir cartões de visita, folders, lançar anúncios em jornais, e para os mais abastados, anúncios em rádio ou televisão.

Mas hoje em dia o cenário é outro, e os impressos vão perdendo cada vez mais espaço para as campanhas publicitárias digitais, e quem ignorar isso invariavelmente vai acabar ficando para trás.

Porém, há um ponto bem interessante nisso, que é o fato que esta evolução coloca, de certo modo, em par de igualdade um profissional autônomo e uma empresa multinacional, permitindo que ambos explorem o mesmo meio (a internet) para divulgar seus produtos ou serviços, independentemente de poder aquisitivo.

Com alguma informação e criatividade é possível criar um site ou uma página de efeito nas redes sociais mais populares, e com baixo investimento otimizá-los para que sejam um canal efetivo para captação de clientes e geração de resultados.

 

Números da Internet no Brasil

Segundo uma pesquisa da “We Are Social” e Hootsuite, aproximadamente 139 milhões de brasileiros acessam a internet, metade pelo celular e quase 60% usam redes sociais.

Como vimos, o leque de opções na internet é vasto, e você pode usá-la para dar publicidade ao seu negócio, se comunicar com seu cliente em potencial, realizar vendas, criar relacionamentos e por aí vai. Cabe a você, seja sozinho ou por meio de um profissional, analisar as peculiaridades do seu negócio e assim traçar a melhor estratégia para tornar otimizado o uso da internet dentro das suas necessidades.

Caso precise de ajuda a partir daqui, pode me questionar através dos comentários ou falar comigo reservadamente através de uma consultoria gratuita.

Como um site pode favorecer meu negócio?

Caetano Burjack Comentários: 0

O primeiro passo seria considerar as peculiaridades do seu negócio, mas tudo bem, vamos tomar como exemplo o caso de uma padaria.

Supondo que você tenha uma padaria local, que atende um setor da sua cidade mas que tem potencial para atender os setores adjacentes.

Através de um site você poderia expor sua padaria para um público bem maior do que ela própria fisicamente poderia, mostrando galeria de fotos do estabelecimento, dos produtos, do corpo de funcionários e dessa forma atingir não só os clientes já captados, mas os clientes em potencial. Também poderia receber encomendas online, informar o horário das fornadas e informar o lançamento de novas receitas.

Bom, você viu um exemplo prático para uma padaria, mas que poderia facilmente se adaptar ao seu negócio.

Um site é um mecanismo que trabalha para e por você 24 horas por dias, todos os dias do ano. Com uma estratégia adequada, pode lhe gerar resultados que de outra maneira você jamais conseguiria.

 

Algumas possibilidades que você teria com seu site:

  1. Vender produtos/serviços
  2. Testar um novo produto, colhendo opiniões dos usuários
  3. Mostrar um portfólio com seus trabalhos de destaque
  4. Criar um canal de comunicação com seus clientes
  5. Criar campanhas personalizadas para cada tipo de cliente
  6. Promover um evento ou lançamento de um produto/serviço
  7. Gerar conteúdo relacionado a sua área, como por exemplo através de um blog

Como você pode ver, listei algumas das inúmeras possibilidades que você teria ao abrir essa porta para seu negócio.

Caso você esteja interessado em começar seu negócio na internet, posso te oferecer uma consultoria gratuita.